Irmã Luiza

Luiza de Abreu Andrade é um espírito muito querido por todos nós, então sempre que citarmos seu nome colocaremos como Irmã Luiza. Em 24 de junho de 1858 viera ao nosso mundo, tornou-se protestante.

Mais tarde encontramos Luiza casada, mãe de duas filhas, trabalhando na cozinha de um bar que seu marido possuía. Foi nessa lida que certo dia deixou cair uma chaleira de água fervente sobre seus pés, o que lhe ocasionou uma seria queimadura que logo se transformará em uma ferida terrível, e que se agravava a cada dia que passava, obrigando Irmã Luiza a recorrer a medicina. Porém, não foi possível obter a cura.


Certo dia encontrou uma amiga, que ao perceber seu estado aflitivo, aconselhou buscar a cura através do espiritismo. Ela sendo protestante recusou a oferta da amiga naquele momento. Mais tarde em outro encontro sua amiga verificando as condições difíceis da Irmã Luiza, que no momento até pensava em suicídio, insistiu novamente falando:“- Luiza, sua queimadura já tornou-se de 2° grau e cada dia está pior”.

Irmã Luiza refletiu sobre a situação e verificou que não tinha outra forma a ser submeter se atender a sugestão da amiga. Ao entrar pela primeira vez em um Centro Espírita, sentiu receio e acanhamento, que todos sentem, afinal Irmã Luiza era contrária à Doutrina dos Espíritos.

Logo após a abertura dos trabalhos uma entidade se manifestou através de um médium da mesa, acusando a presença de Irmã Luiza da seguinte forma.
- “Até que enfim ela veio”!


O dirigente do trabalho perguntou ao manifestante a quem ele se referia.
- É com aquela Senhora que está lá no fundo da sala com o pé doente. A senhora demorou para seguir a Doutrina do Espíritos, sou o responsável pelos males que vem sofrendo, pois fui eu quem derrubou a chaleira com água fervente em seus pés ocasionando essa ferida que a medicina não conseguia curar. Mas agora a Senhora não precisa se preocupar, é só lavar os pés quatro vezes ao dia com água fluida, que em menos de oito dias estará completamente curada.


Dessa forma Irmã Luiza iniciou sua caminhada como espírita, desenvolveu, a sua mediunidade em diversos graus: vidência, auditiva, intuitiva, de transporte e curadora. Irmã Luiza mudou-se para Rua Frei Gaspar, onde as famílias necessitadas a procuravam, o remédio que ela indicava era água fluida e muitas foram as curas obtidas. Novamente ela mudou de residência e desta vez foi para o Largo do Belém.
Passou o tempo e como acontece a todos os seres encarnados, chegou o dia da volta da Irmã Luiza para o plano espiritual, em 29 de julho de 1923.

 

Fonte: http://celuiza.blogspot.com/2012/04/biografia-luiza-de-abreu-andrade.html