ARCANJO MIGUEL

Arcanjo Miguel

Os arcanjos Miguel, Gabriel e Rafael representam a mais alta hierarquia dos anjos. Eles fazem parte do grupo dos “sete espíritos” citados no livro do Apocalipse. Estes, atendem diretamente ao trono de Deus. Como função, podemos dizer que eles são mensageiros dos decretos de Deus aqui neste mundo. Os nomes de cada um deles testemunham também a missão que têm.  O nome Miguel, vem da língua Hebraica.

É um nome em forma de uma pergunta: “Quem como Deus? É, na verdade, uma “pergunta afirmação”, pois "ninguém é como Deus". Sendo este também o significado deste nome. O nome Miguel significa ainda "semelhança de Deus". São Miguel é considerado o guardião celeste, o príncipe e guerreiro, que defende o trono celestial. Ele é também o defensor e protetor do Povo de Deus e Padroeiro da Igreja Católica.

São Miguel Arcanjo é o chefe supremo do exército celestial, dos anjos que são fiéis a Deus. Ele é conhecido também como o Arcanjo da Justiça e Arcanjo do arrependimento. São Miguel Arcanjo é o grande combatente e vencedor das forças do mal. Seu nome é citado três vezes nas Sagradas Escrituras: A primeira, no Antigo Testamento, está no capítulo 12 do livro de Daniel. A segunda, já no Novo Testamento, na carta de são Judas e a terceira, no capítulo 12 do livro do Apocalipse. O culto a São Miguel Arcanjo está presente na Igreja desde os primórdios.

 

A ele são dirigidas novenas e orações pedindo a proteção contra o mal e a direção no caminho de Deus. São João Evangelista, quando chegou à região de Colossos, falou sobre os anjos e anunciou que São Miguel protegeria a cidade. Assim, surgiu uma fonte na porta da cidade, onde os doentes com o sinal da cruz e a invocação do Arcanjo São Miguel, encontrariam a cura de todos os males do corpo e da alma.


Certa vez no alto do Monte Gargano, um pastor querendo obrigar um novilho a sair de uma caverna onde se refugiara, atirou uma flecha lá dentro, a qual retornou com a mesma velocidade, ferindo o pastor. Este fato chegou aos ouvidos do Bispo de Siponto, que entendeu como um sinal de Deus. Assim, ordenou um jejum de três dias em toda a diocese, pedindo ao Senhor que revelasse o que se tratava. Após os três dias, apareceu-lhe o Arcanjo São Miguel declarando que o Senhor queria que naquela caverna fosse uma igreja, para reviver a fé e a devoção dos fiéis no seu amor e proteção.

Fontes: https://www.nossasagradafamilia.com.br  

             https://cruzterrasanta.com.br/historia-de-sao-miguel-arcanjo/303/102/