As 6 Paramitas do Budismo.

Atualizado: 26 de jul.



Por Michel D’ Alberti

Terapeuta Holístico, Espiritualista e Missionário da Era Branca.


Dentro do Budismo Mahayana, existem vários ensinamentos valiosos, onde um deles que eu aprecio muito são os Paramitas. Mas afinal, o que significa essa palavra? Refere-se aos sutras da Perfeição da Sabedoria Interior (Prajna-Paramita), é o termo original em sânscrito, onde listam as "Seis Perfeições do Budismo”. Segundo o que Buda Shakyamuni nos ensinou, todos os seres humanos têm uma nascente em seus corações, de onde flui uma sabedoria interior, essa fonte está conectada ao Universo e a Buda. Esse ensinamento era um caminho para que as pessoas se tornassem “Despertos” para a verdade e evoluíssem, almejando um dia tornarem-se também um Buda (o iluminado), seguindo as diretrizes da autodisciplina e buscando sempre um aprimoramento espiritual.

Os 06 paramitas são:

Dana-Paramita, que significa a perfeição da oferenda, generosidade, caridade, doação, é uma forma de praticar o amor incondicional, o qual já foi ensinado pelo Cristianismo, além de amplamente praticado dentro da Era Branca; Sila-Paramita, que significa a perfeição da observação dos preceitos budistas, virtudes, conduta apropriada conforme os 8 corretos caminhos, que são a correta visão, correto ensinamento, correta expressão, correta ação, correta vida, correta dedicação, correta mentalização e correta meditação; Ksanti-Paramita, a perfeição da perseverança, paciência, tolerância, auto domínio, aceitação, resistência, Virya Paramita, a perfeição do esforço, da energia, vigor, vontade de lutar por um mundo melhor;

Dhyana-Paramita, que é a perfeição da meditação, concentração e contemplação;

Prajna-Paramita, a perfeição da sabedoria, é o barco que nos leva para a outra margem da ignorância.

Shakyamuni Buda, ensinava que através da prática dessas perfeições, as pessoas poderiam abrir um portal para sua sabedoria interior, onde estariam se conectando com a essência de Deus.

Esses Paramitas nos mostram como expressar os nossos pensamentos em ações, ou seja, de que modo uma pessoa que busca a iluminação deverá agir.

Quem busca a verdade tem a responsabilidade de provar que é capaz de controlar seus próprios pensamentos, por meio da maneira como age, isto é, por suas ações e atitudes, as quais devem sempre seguir os caminhos corretos do Dharma.


Namaste!


Respeitadas as previsões legais com base na LGPD e direitos da propriedade intelectual informamos que o texto do colaborador não representa a opinião da Instituição.

36 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo